15 / 12 / 21

Compras de fim de ano devem movimentar mais de R$ 43 milhões em Maceió

Com ticket médio de R$ 411,49, calçados e vestuários são as principais escolhas para presentear no Natal

Com o recebimento da segunda parcela do décimo terceiro salário, que pode ser paga pelas empresas até o dia 20 de dezembro, as promoções de fim de ano devem atrair o maceioense para ir às compras em busca de presentes. É o que indica a Pesquisa de Intenção de Consumo no Natal, realizada pelo Instituto Fecomércio. De acordo com o levantamento, as lojas da capital alagoana devem faturar mais de R$ 43 milhões no período.

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio AL), Gilton Lima, a expectativa é de que o período contribua significativamente para a aceleração da retomada da economia. “O Natal é a melhor data para o Comércio. O acréscimo no volume de vendas vai ser muito importante para a categoria iniciar o próximo ano com uma melhor perspectiva”, ressaltou.

Com um ticket médio de R$ 411,49, a pesquisa aponta que pelo menos 51,56% da população maceioense deve comprar algum presente este ano. 9,77% alegaram que ainda não se decidiram. Entre os motivos dos consumidores que declararam que não devem realizar compras natalinas (38,67%), 36,87% justificaram estar endividados, 27,27% estão mais cautelosos, 10,10% estão desempregados, 7,07% afirmaram que comemoram de outra maneira e 6,57% responderam que não têm costume de presentear no Natal.

Dentre os que declararam intenção de compra, 46,21% informaram que pretendem gastar mais de R$ 400,00. Para 11,36%, o valor dos presentes deve ficar entre R$ 151,00 e R$ 200,00; para 10,61%, entre R$ 251,00 e R$ 300,00; e, para 7,20%, entre R$ 301,00 e R$ 350,00.

Segundo a pesquisa, 32,58% pretendem comprar calçados e vestuários; 20,45% pretendem adquirir apenas vestuários; 4,92% focam em brinquedos, calçados e vestuários; 2,65%, em calçados, vestuários e cosméticos/perfumes; e 2,27%, em eletrodomésticos. De acordo com os dados obtidos pelo Instituto Fecomércio, 40,45% dos maceioenses pretendem comprar presentes para si mesmo, 13,06% devem presentear seus filhos, 12,74% comprarão para seus filhos e para si mesmo e 5,73% irão dar os presentes para seus filhos, cônjuge e se auto presentear.

Em relação à quantidade, 23,89% declararam a intenção de comprar três presentes; enquanto que 21,34% pretendem adquirir mais de cinco; 20,70% acreditam que comprarão dois; 19,43%, apenas um; e 14,65%, relataram a intenção de comprar quatro presentes.

Local de compra dos presentes

O Centro da cidade foi apontado como a principal escolha de lugar para as compras (43,31%), seguido dos shoppings (21,66%). Para 11,46%, as compras serão realizadas tanto no Centro quanto nos shoppings, 6,69% declararam que comprarão on-line e 2,87% relataram que os presentes serão adquiridos em lojas de rua/bairro/galerias.

Para os consumidores que optam pelas lojas físicas, os principais motivos, por ordem de importância, que os levam a entrar nos estabelecimentos são as promoções (21,21%), os preços (9,09%), o combo preço/qualidade dos produtos (6,06%), o combo promoções/qualidade dos produtos (5,30%), a qualidade dos produtos (4,92%) e a vitrine (4,17%). Contudo, 3,41% dos maceioenses já saem de casa sabendo onde ir.

Forma de pagamento e 13º salário

Para 37,90% dos consumidores, a principal forma de pagamento das compras será via cartão de crédito, de forma parcelada. Já o segundo meio de pagamento mais utilizado, de acordo com o levantamento, será dinheiro em espécie (26,11%), seguido de cartão de crédito à vista (14,65%) e cartão de débito (8,92%).

Dentre os entrevistados, 47,27% afirmaram que irão receber o 13º salário. Destes, 36,09% relataram que utilizarão a renda extra para comprar os presentes, 16,57% disseram que a verba será destinada ao pagamento de contas em atraso e 14,79% alegaram que pretendem poupar parte do dinheiro.

Perfil dos entrevistados

O total da amostra é de 512 entrevistados, sendo que 68,55% são mulheres e 31,05% são homens. Quanto ao nível de escolaridade, 60,35% têm o ensino médio completo, 22,27% contam com ensino superior, 7,81% concluíram o ensino fundamental, 5,86% têm alguma pós-graduação, 3,13% têm formação técnica e 0,59% é analfabeto.

A faixa etária representada no levantamento compreende, em sua maioria, maceioenses entre 19 anos e 45 anos (81,24%), sendo 31,05% entre 31 anos e 45 anos, 26,95% entre 19 anos e 25 anos e 23,24% entre 26 anos e 30 anos. Com mais de 45 anos, são 13,48%, e, entre 15 anos e 18 anos, 5,27%.

Os dados apontam que 38,67% dos entrevistados possuem renda domiciliar mensal de até um salário mínimo; para 37,89%, a renda fica entre um e dois salários mínimos; 12,11% contam com entre três e quatro salários mínimos; 7,42% não têm remuneração; 3,32% recebem entre cinco e dez salários mínimos; e 0,59% relatou ter renda de mais de dez salários mínimos.

A pesquisa foi realizada no período de 22 a 24 de novembro em ambientes de consumo de grande circulação de pessoas. A margem de erro é de 5% (2,5% para mais ou para menos).

15 / 12 / 21