8 de maio de 2017

Maceioenses vão às compras no Dia das Mães

dia-das-maesAs vendas em comemoração ao Dia das Mães devem aquecer o comércio de Maceió. Pesquisa do Instituto Fecomércio revela que 69,7% dos entrevistados pretendem presentear na data. No entanto, o desemprego e a redução da renda das famílias – que torna o crédito cada vez mais escasso – contribuíram para a diminuição de consumidores em condições de comprar na data em relação ao ano passado. Em 2016, a pesquisa apontou que a intenção de compras para o Dia das Mães correspondeu a 77% do total de entrevistados.

Dos entrevistados, 29,3% foram categóricos aos afirmarem que não irão presentear. Desse total, 48% afirmaram não ter quem presentear; 18,6% optaram por comemorar de outra forma; 6,6% afirmaram que estão endividados; 6% estão desempregados e 4% cautelosos.

A maioria dos consumidores vai gastar até R$ 100 (40,5%). O consultor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha, explicou que esse comportamento é fruto do ritmo da economia. O levantamento demonstra ainda que 15% devem presentear com valores de até R$ 50. Um dos questionamentos da pesquisa foi saber quantos itens o consumidor pretende comprar para presentear no Dia das Mães e 59% afirmaram que apenas um item.

Quem pretende presentear no Dia das Mães afirmou que deverá comprar no shopping (74%), Centro de Maceió (11,7%), internet (4,3%), entre outros. Perfumes e cosméticos (26,8%) estão entre os itens mais procurados pelos consumidores, seguidos de calçados (26,3%), vestuários (24,3%), entre outros.

Em relação à forma de pagamento, 50% deverão optar em pagar à vista/dinheiro, cartão de crédito/parcelado (28%), à vista/cartão de débito (16%) e cartão de crédito rotativo (6%).

A pesquisa abordou ainda quais os motivos que levam o entrevistado a entrar numa loja. Por ordem, os consumidores consideram preços, conforto, variedade, proximidade, entre outros.

Perfil

Com relação ao perfil dos entrevistados, 53% são do sexo feminino e 47% do sexo masculino. A maioria dos entrevistados tem idade entre 25 e 34 anos (32%) e de 35 a 44 anos (24%).

Clique aqui para ler o relatório.

8 de maio de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *