19 de agosto de 2014

Continua estável o nível de endividamento do consumidor em Maceió

O Índice de Endividamento do Consumidor (IEC) na capital alagoana, em julho, ficou igual aos meses de maio e junho ao alcançar 72,3% do total dos consumidores pesquisados. Os dados são da pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e analisada pelo Instituto Fecomércio de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento (IFEPD) de Alagoas.
Comparando junho deste ano com o mesmo período do ano passado, o IEC diminuiu 9%, demonstrando, mais uma vez, que os indicadores de endividamento no ano de 2014 são bem melhores em relação ao mesmo período de 2013. Na média do ano, o IEC em 2014 ainda continua muito abaixo do nível registrado ano passado (74%, em 2013, contra 67,4%, em 2014).

O percentual de consumidores com dívidas atrasadas caiu 8,9%, alcançando o nível de 21,5% contra 23,6% registrado em junho. Comparando junho/2014 com junho/2013, a taxa de consumidores com dívidas atrasadas é menor em 29% (21,5% contra 30,3%). Na média, em 2014, o indicador alcançou 22% contra 29,2% em todo ano de 2013.
Portanto, em julho aconteceu uma extraordinária redução do nível de contas em atraso dos consumidores da capital alagoana.
Taxa percentual dos consumidores de Maceió com dívidas atrasadas (%) – 12 meses

A taxa de inadimplência voltou a crescer pelo terceiro mês consecutivo, alcançando 7,2% dos entrevistados em julho, uma elevação de 9%. Esse crescimento já foi bem menor que o verificado entre os meses de maio e junho, quando alcançou 15,8%. Esses dados apontam que existe uma desaceleração do ritmo de elevação da taxa de inadimplência e isso pode ser interpretado como um aspecto positivo.
Comparando junho/2014 com junho/2013, a redução foi de 30%. Naquele mês a taxa de inadimplência situou-se em 10,3% dos entrevistados. Na média do ano, a taxa de inadimplência, em 2014, ainda é bem melhor que a verificada no ano passado (5,8% contra 7,83%).
Taxa de percentual de consumidores inadimplentes em Maceió (%) – 12 meses

Segundo análise do Instituto Fecomércio, os números gerais do endividamento do consumidor da capital alagoana continuam numa trajetória bem melhor que os níveis apontados no ano de 2013. A única alteração para o mês de julho diz respeito à elevação da taxa de inadimplência, mas mesmo assim seu crescimento já foi bem menor que nos meses anteriores, demonstrando desaceleração.
O cartão de crédito lidera o tipo de dívida mais comum entre os consumidores da capital alagoana (86,1%). Seguidos dos carnês de lojas (9,4%) e financiamento de carros (4,8%) e casa (4,2%). Esse nível de comprometimento da renda com dívidas com cartões de crédito já foi bem maior em 2013, quando ultrapassava a casa dos 90%.
As famílias que ganham até de dez salários mínimos foram as que mais utilizaram e se endividaram com cartões de crédito (86,2%). As famílias que ganham acima de dez salários mínimos pelas características da estrutura de consumo se endividam mais com financiamento de carro (17,5%), casas (13,4) e outros tipos dívidas (7,2%).

Considerando o limite prudencial de 30% da renda que deve ser comprometida com dívidas, na média a família da capital alagoana ficou acima (35%). Em relação a maio (34,5%), esse indicador cresceu, portanto, 1,4%. As famílias que mais comprometeram renda com pagamento de dívidas e encargos foram as que ganharam até 10 s.m. (35,1%).

19 de agosto de 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *