18 de setembro de 2014

Confiança do empresário do comércio de Maceió cai pela quarta vez consecutiva

Pelo quarto mês consecutivo, a pesquisa sobre o Índice de Confiança Empresário do Comércio (ICEC) indica registrando queda, em Maceió. Entre julho e agosto, o indicado saiu de 115,3 para 11,7 pontos, respectivamente. A pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e analisada pelo Instituto Fecomércio/AL de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento (IFEPD).
O ICEC é feito a partir das avaliações de empresários da capital alagoana sobre as expectativas econômicas do setor de comércio. Em termos percentuais, a redução registrada entre os meses de julho e agosto equivale a 3,1%. Em comparação com meses de agosto em 2014 e 2013, há um declínio mais acentuado, de 6,9% (120 contra 115,3 pontos).
Desde o último resultado positivo, quando marcou 125,7 pontos em abril, o índice já reduziu 12%. Na média de 2014 o ICEC atingiu 120,5 contra 125,6 pontos registrados em 2013. Ainda de acordo com os dados da pesquisa, o ICEC cresceu 2% entre julho e agosto na média brasileira, enquanto para o Nordeste o crescimento foi de 1,6%.
Na análise do Instituto Fecomércio AL, a confiança do empresário do comércio maceioense voltou a cair em agosto em virtude da desaceleração do consumo e do baixo crescimento de atividades econômicas importantes, a exemplo da indústria de transformação. Outro fator relevante foi o clima de expectativas empresariais em relação às eleições nacionais, o que afeta o otimismo de mercado.

Cenário
O ICEC é composto por outros três índices: Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC); Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) e Investimento do Empresário do Comércio (IIEC). Embora, no contexto geral, a confiança tenha registrado queda, o IEEC teve desempenho positivo, saindo dos 139,1 pontos alcançados em julho para 142,2 em agosto. Especificamente, este indicador avalia a expectativa da economia brasileira, do comércio e das empresas comerciais e, em agosto, todas estas expectativas registraram aumento.
O Indicador de Contratação de Funcionário (IF), que compõe o IIEC, também registrou elevação, saindo de 115,2 (julho) para 119,6 (agosto), praticamente igualando-se ao resultado de junho, quando mediu 119,4 pontos. Desmembrando-se a expectativa de contratação de funcionários, percebe-se que as empresas com porte de até 50 funcionários são as que mais pretendem contratar, com 55,9% das intenções, enquanto nas empresas com mais de 50 empregados o percentual é de 52,9%.
A possibilidade de redução no quadro de funcionários é menor nas empresas de até 50 empregados: 32,4 % contra 35,3% naquelas com mais de 50 empregados. Porém, em relação à situação atual do setor, o otimismo é maior nesta faixa de empresa: 42,3% acham que houve melhora (pouco) e 11,5% disseram que melhorou muito, totalizando 53,8%. Na faixa das empresas com até 50 empregados, 35,1% consideraram melhor um pouco e 9,3% acham que melhorou muito, o que dá um percentual de 44,4%.

18 de setembro de 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *