14 de fevereiro de 2020

Dirigentes de entidades do setor produtivo recebem o vice-presidente do BB

Na oportunidade, Gilton Lima, questionou a Carlos Motta se a instituição bancária pensa numa linha de crédito diferenciada para o Caso Pinheiro

Em visita a Alagoas, o vice-presidente de Varejo do Banco do Brasil (BB), Carlos Motta, se reuniu com dirigentes de entidades do setor produtivo. O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio AL), Gilton Lima, participou do encontro que aconteceu hoje (14) na Federação das Indústrias (Fiea).

Na oportunidade, Lima ressaltou a importância do Comércio para a economia alagoana, sendo responsável por 72% do PIB, e relembrou a situação delicada para os empresários com empreendimentos situados nos bairros Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto, afetados por abalos sísmicos decorrentes da atividade mineradora na região. “Com o esvaziamento do bairro, algumas empresas acabaram se transferindo para outros bairros e outras fecharam, gerando desemprego de comerciários. Gostaríamos de saber se o Banco do Brasil tem interessem em realizar uma parceria para uma linha de crédito diferenciada para as empresas afetadas por esta situação”, falou Lima.

Carlo Motta sinalizou que a instituição bancária tem, sim, interesse em atender a essa demanda e anunciou que na próxima semana irá articular o envio de dois técnicos do BB para ser reunirem com os representantes das entidades do setor produtivo interessadas no pleito.

 

Reunião

Durante a reunião na Fiea, Motta conversou principalmente sobre os produtos que o BB destina às Micro e Pequenas Empresas. Recebido pelo vice-presidente da Fiea, José da Silva Nogueira Filho, o vice-presidente afirmou que a instituição tem “todo interesse de saber e atender as necessidades do segmento da economia formado por micro e pequenas empresas”. Ele estava acompanhando do superintendente regional do BB em Alagoas, Eduardo Lima.

Respondendo a indagação das lideranças do setor, Carlos Motta disse que o Banco do Brasil quer retomar sua presença na área da construção civil. O encontro foi cordial, seguido de um almoço, e nele as lideranças empresariais alagoanas expuseram questões que podem estreitar as relações com a instituição bancária que passa por um bom momento.

No ano passado, o Banco do Brasil teve lucro líquido de R$ 17,8 bilhões, um crescimento de 32,1% em relação ao ano anterior.  A própria instituição definiu esse resultado como o maior lucro da história do banco.

Além do presidente da Fecomércio, Gilton Lima, e do vice-presidente da Fiea, José Nogueira, participaram da reunião os presidentes Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas, Leonardo Marques; dos sindicatos da Construção Civil, Alfredo Brêda; e da Indústria do Vestuário e Confecções, Francisco Acioli; o diretor-superintendente do Sebrae/AL, Marcos Vieira; e representantes da Federação da Agricultura e da Associação dos Criadores de Alagoas.

Fonte: Ascom Fiea (com adaptações)

14 de fevereiro de 2020