11 de junho de 2019

Pinheiro, Mutange e Bebedouro são discutidos em reunião extraordinária do Cepram

O Conselho atendeu uma sugestão da Fecomércio e contou com a presença dos técnicos da CPRM e da petroquímica

Atendendo a uma solicitação da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio AL), o Conselho de Proteção Ambiental (Cepram) realizou hoje (11), uma reunião extraordinária a fim de tratar sobre o caso envolvendo os bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro.

Na oportunidade, representante da petroquímica fez uma apresentação e colocou os contrapontos em relação ao estudo apresentado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). O geólogo da CPRM, Thales Sampaio, rebateu a tentativa de desqualificar o trabalho de 49 profissionais envolvidos nos estudos.

O presidente da Associação dos Empreendedores do Pinheiro, Alexandre Sampaio, colocou que o relatório fruto do trabalho da CPRM é isento de interesses e pediu coerência das autoridades em relação aos fatos. Ele observou que foram realizadas quatro fiscalizações com sonares por mina ao longo de quarenta anos e levantou se isso seria o suficiente ao longo de quatro décadas.

Alexandre disse ainda que, por motivos óbvios, em relação aos estudos apresentados pela CPRM e os encomendados pela petroquímica não devem ser analisados sem considerar os interesses. “Não pode colocar o mesmo peso e a mesma medida”, ressaltou.

A assessora técnica da Fecomércio, Graça Carvalho, questionou quais ações da Defesa Civil, os impactos ambientais e o que vai resultar. E também se existe contaminação da água nesse processo. Ela solicitou ainda que a apresentação da petroquímica seja disponibilizada para o Cepram, bem como o relatório no qual o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (CREA) propôs uma série de medidas resolutivas ao Estado. Outras solicitações feitas pela assessora da Fecomércio foram: o monitoramento da qualidade da água na região; a elaboração de boletins (semanais ou quinzenais) pelo IMA para informar a população sobre a atuação em relação aos bairros afetados; e o acesso às 21 perguntas que a CPRM respondeu.

Ao final da reunião ficou decidida a criação de uma Câmara Técnica composta pelos seguintes representantes: IMA, Ufal, Fepeal, Semarh e Crea, tendo como conselheiro suplente, Fiea. A Fecomércio e a AMA integram a Câmara como instituições convidadas.

11 de junho de 2019