1 de setembro de 2017

Pesquisa aponta estabilidade na confiança do empresário de Maceió

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), em agosto, pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento, em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aponta que os empresários do setor em Maceió estabilizaram sua confiança com aumento de 0,3%. A primeira parcela do pagamento do 13º salário anunciado pelo governo aos aposentados, o anúncio da liberação do PIS/PASEPE aos mesmos, trouxeram novos ânimos aos empresários para que aumente o consumo.

Embora entre julho e agosto tenham ocorrido diversas incertezas políticas, o comércio, em Alagoas, tem apresentado melhora. O dado é apontado pela Pesquisa Mensal de Comércio de junho pelo IBGE. O comércio varejista vendeu 2,4% melhor do que o mês anterior (maio) e 11,3% mais do que o mesmo mês do ano anterior, já com ajuste sazonal (sem interferência de datas comemorativas ou específicas para uma região).

Após dois meses seguidos de redução do ICEC, os empresários do setor, em Maceió, revigoraram as crenças com base nas informações sobre a desaceleração da inflação e da redução do custo do crédito.

A melhoria deve acontecer no médio a longo prazo. A aprovação da reforma trabalhista, as reformas política, tributária, previdenciária que estão ganhando forma e sendo discutidas também contribuem para esse cenário. “Além disso, o anúncio de um pacote de ativos públicos a ser vendido ao mercado privado é visto com bons olhos pelos empresários brasileiros e internacionais, pois melhora a taxa de câmbio brasileira e favorece as importações do setor e gerou uma melhora entre julho e agosto de 4,63% nas expectativas até o final do ano”, explicou o assessor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha.

Para o economista, a aproximação do final do ano, as privatizações em pauta e a  melhora no curtíssimo prazo das vendas em Alagoas devem estimular outro aspecto importante e que contribui para o retorno do crescimento mais veloz: a geração de empregos. “Embora os dados do comércio destaquem mais perdas de postos de trabalho do que admissão não apenas em Maceió, mas também em Alagoas, há uma expectativa de que nos próximos meses haja retorno das contratações, um crescimento de 8,52% na intenção de contratar foi observado entre julho e agosto. No quesito investimento global, o aumento foi de 3,97%”, destacou.

A coleta de informações e dados sobre a confiança dos empresários do setor de comércio e serviços da capital alagoana foi realizada nos últimos dez dias de julho. Foram entrevistados 189 empresários em Maceió.

1 de setembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *