11 de junho de 2012

Repensando a forma de administrar

Em sua segunda turma em Palmeira dos Índios, o Curso de Gestão Empresarial tem apresentado bons resultados. Realizado em parceria entre a Fecomércio/AL e o Sebrae, a atividade disponibiliza aos participantes algo mais que teorias gerenciais: aqueles que preencherem os critérios pré-estabelecidos, como participação e assiduidade, têm a possibilidade de contar com uma consultoria e, consequentemente, de implementar novos conceitos na prática.

Uma das consultoras do curso, Eveline Muritiba, realiza o acompanhamento de duas empresas. De acordo com ela, a metodologia consiste na aplicação de um programa padrão, mas que deve ser adequado ao empreendimento. “O programa é único, porém deve considerar a realidade de cada empresa. Fatores como, por exemplo, o ritmo de produção e o nível de comprometimento são analisados. Não adianta ter um excelente plano de gestão na teoria, mas que se apresente impraticável para a empresa”, esclarece.

Ainda segundo Eveline, a gestão administrativa ensinada já começa a apresentar resultados. Mediante uma abordagem demonstrando a necessidade e a importância de uma boa gestão para a empresa, os participantes iniciaram a busca por melhorias. “Começaram a ajustar processos de controle financeiro e de documentação, além de perceberem que registrar a movimentação da empresa é importante. Para se ter uma ideia de como o registro é fundamental, às vezes tinha caso que o estabelecimento estava apresentando perdas que não eram percebidas”, explica a consultora. Isto acontecia porque boa parte das microempresas iniciaram na informalidade e sem planejamento prévio.

A consultoria acontece a cada 15 dias e durante a visita, que tem duração de quatro horas, Muritiba analisa o desempenho nas ‘tarefas’ deixadas na visita anterior, as mudanças implementadas e o que ainda pode ser explorado. Ao total são 58h de consultoria para cada empresa selecionada. “É um planejamento a longo prazo. Buscamos ampliar a visão demonstrando que a organização pode trazer o crescimento. Mudanças sempre serão necessárias; por isso, também os conscientizamos de que a cada um ou dois anos devem rever o planejamento para adequá-lo à realidade do mercado”, afirma, acrescentando que essa nova cultura organizacional acaba trazendo mais segurança aos empresários na hora de tomar decisões: “É gratificante para o consultor retornar à empresa e perceber o comprometimento do empresário em colocar em prática as alterações necessárias”, ressalta Eveline.

Crescimento

Uma das microempresas visitadas pela consultora em Palmeira dos Índios é a La Dana Fardamentos. Apesar de estar no ramo de confecções há um bom tempo, foi a partir da consultoria fornecida por meio do curso que as maiores mudanças aconteceram. “Com o curso, começamos a enxergar algumas ações que deveríamos modificar e outras que podíamos implementar, pôr em prática. Com o acompanhamento, a consultoria facilitou esse processo, pois nos sentimos mais seguros para efetivá-lo”, diz Nathália Machado, da área administrativa da empresa.

Na opinião de Nathália, a empresa teve um pouco de dificuldade no início, pois não havia entre os funcionários o hábito da capacitação. Porém, perseverando no projeto e com o apoio da consultoria, a equipe foi se motivando. Assim, a empresa passou por uma modificação estrutural, por reformas na parte física para melhoria do ambiente de trabalho e adquiriu novos equipamentos na linha de produção. O resultado? “Entre janeiro e o início de maio deste ano já percebemos um aumento no faturamento”, comemora.

11 de junho de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *