30 de maio de 2012

De olho no que o mercado pode oferecer de novo

Quem pensa que o mercado só tem espaço para empresas tradicionais. Engana-se! Ficar atento ao comportamento dos consumidores é um bom início para quem pretende investir de forma inovadora. Aliar esta observação ao estudo e planejamento amplia (e muito!) a possibilidade de firmar a nova marca no mercado.
Pensando desta forma, os empresários Lis Nunes e Marcos Mendes inauguraram, em fevereiro deste ano, a Boudoir Esmalteria, a primeira loja conceitual de esmaltes de Maceió. A ideia surgiu a partir de um dos trabalhos de Lis Nunes. Jornalista especializada em moda, ela percebeu o crescente interesse da mulherada pelos vidrinhos coloridos e a mudança do próprio conceito do esmalte no mercado: se antes era visto apenas como um complemento da vaidade, o esmalte elevou-se ao status de item da moda ao auxiliar na composição de estilos e visuais.
Na contramão do crescente consumo, não existia no mercado uma loja especializada no produto e que oferecesse às mulheres uma boa variedade. Percebendo esse novo nicho, os empresários deram o devido glamour aos esmaltes criando um espaço elegante onde o colorido fica por conta dos vidrinhos. “Como no mercado não existia uma loja conceitual, criamos um espaço voltado para as mulheres e com o visual que os produtos merecem, além do custo acessível e da variedade, pois trabalhamos com 50 marcas entre nacionais e importados, algumas delas exclusivas, com uma faixa de preço que varia entre R$ 2,50 e 120,00”, explica Lis. Entre as marcas comercializadas, nomes como La Tika, Dior, MAC, L’Oréal, Lancôme e Sephora.
A loja, inspirada nas casas francesas onde as mulheres vão para se embelezar, traz um projeto contemporâneo pensado para destacar os produtos e oferecer conforto às clientes. Aliás, comodidade não falta! Às sextas-feiras, nas compras a partir de R$ 10,00 a consumidora ganha uma esmaltação gratuita. As crianças também dispõem de um espaço e produtos próprios, como o esmalte que sai com água e sabão.
Após a fase inicial, a loja passa agora a agregar novos produtos, como carimbos e adesivos de unha, além de começar a desenvolver uma linha própria de produtos para atender às necessidades das clientes. O primeiro deles é uma nécessaire pensada para acomodar os vidrinhos.
Doce sacada
A ausência de loja especializada também foi fator decisivo na escolha de Clarice Novais. Apaixonada por doces, ela sempre achava que as docerias deixavam a desejar. Numa viagem à São Paulo, em 2010, conheceu lojas específicas de brigadeiros; as brigaderias. Empolgada com a novidade, a então estudante de Biomedicina resolveu testar algumas receitas e passou a promover degustações entre amigos. Estes, por sua vez, também passaram a difundir os brigadeiros entre colegas de trabalhos e parentes. Nascia o Espaço do Brigadeiro.
E assim, no boca a boca, a demanda foi aumentando. No começo, se os pedidos se limitavam aos dez sabores produzidos, hoje o leque aumentou para 45 tipos de brigadeiros, que vão dos mais pedidos como o tradicional, o de limão siliciano, o de nutela e o Romeu e Julieta, até os diferentes: de whisky, pistache e chocolate belga. O de cachaça ainda está em fase de teste.
A marca ainda não possui endereço físico, sendo a comercialização realizada por meio de blog e páginas sociais; porém, no que depender da empreendedora, essa situação persistirá por pouco tempo. “Estou elaborando um projeto a fim de viabilizar a loja física. É um espaço que -por enquanto- falta no mercado local, mas que os clientes me cobram muito. Como trabalho somente com encomendas, às vezes bate o desejo e eles me ligam para saber se tem algum doce pronto, porém devido à não existência da loja, acabo sem poder atendê-los”, comenta.
Além dos brigadeiros, Clarice passou a produzir brownie e, em breve, lançará cupcakes. “Este mês, irei a São Paulo tanto em busca de novidades nesta área a fim de iniciar a produção quanto para garimpar as inovações direcionadas aos brigadeiros, a exemplo de novos tipos de granulados”, destaca.
Agregando valor ao produto, a empreendedora elabora caixas específicas em datas comemorativas e, para quem quiser, é possível encomendar em quantidades maiores. O preço do cento varia entre R$ 60,00 (brigadeiro tradicional) e R$ 120,00 (brigadeiro de chocolate belga).

30 de maio de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *